IGP-M varia 0,96% em dezembro e acumula alta de 23,14% no ano

Principais contribuição para o valor partiram de commodities de soja, bovinos e milho

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2020 12h00 - Atualizado em 31/12/2020 13h48
DIVULGAÇÃO/ RIO BRANCO.ORG Alta do IGP-M em maio foi forçada pela nova valorização das commodities Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve alta de 1,21% em dezembro -- em novembro, ele subiu 0,72%

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), indicador de reajuste do aluguel, acumulou alta de 23,14% entre janeiro e dezembro de 2020. A última variação, em dezembro, foi de 0,96% — inferior ao percentual apurado em novembro, que foi de 3,28%. No mesmo período de 2019, o índice tinha subido 2,09% e acumulava alta de 7,30% no ano. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, as matérias-primas caíram 0,74% em dezembro — e as principais contribuição para o movimento partiram de commodities de soja (11,91% para -8,93%), bovinos (7,40% para -0,58%) e milho (21,85% para -2,17%).

IPA e IPC

Em relação ao Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), ele variou 0,90% em dezembro. Em novembro, a variação tinha sido de 4,26%. A principal contribuição para o resultado partiu do subgrupo de alimentos processados. Nesta classificação, a taxa passou de 4,15% para 2,29% no mesmo período. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve alta de 1,21% em dezembro — em novembro, ele subiu 0,72%. Das oito classes de despesa que o compõem, cinco tiveram acréscimo nas taxas de variação.

São elas: Habitação (0,23% para 2,11%), Educação, Leitura e Recreação (1,44% para 2,63%), Alimentação (1,61% para 1,72%), Despesas Diversas (-0,04% para 0,28%) e Comunicação (0,09% para 0,10%). Itens como tarifa de eletricidade residencial, passagens aéreas e frutas tiveram destaques. Os grupos de Transportes (0,94% para 0,71%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,16% para 0,06%) e Vestuário (0,29% para -0,17%) registraram decréscimo.