Mercado financeiro vai esperar novas pesquisas, avalia economista

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2018 10h49
Estadão ConteúdoIbovespa fechou em disparada de 1,7% após notícia de ataque ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL)

O mercado financeiro tende a se acalmar na próxima semana, enquanto espera as próximas pesquisas eleitorais. A avaliação é do economista Jason Vieira, da Infinity Accet. Na última quinta-feira (6), o Ibovespa fechou em disparada de 1,7% em um movimento de alta que coincidiu com o ataque sofrido pelo candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), poucas horas antes.

O pregão ficou fechado nesta sexta-feira por causa do feriado de 7 de setembro.

“Os temores do mercado estão centrados na falta de reformas [dos candidatos à esquerda]”, explicou Vieira em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, neste sábado (8). Segundo ele, “se entrar um governo que acha que pode investir, pode gastar, há o risco de perdas e tudo isso pode ser um grande problema”, afirmou Vieira, para quem a bomba fiscal está relacionada, principalmente, à Previdência Social.

De acordo com o economista, Ciro Gomes (PDT) é considerado um dos maiores riscos do mercado. A proposta de renegociar a dívida dos cidadãos com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) pode custar R$ 1 bilhão. “A pauta do Ciro é muito parecida com a da [ex-presidente] Dilma [Rousseff], que levou à recessão e ao desemprego”, disse.

A candidata Marina Silva (Rede), por sua vez, será bem recebida pelo mercado se seguir a proposta de seus assessores econômicos.

Vieira avaliou ainda, embora o cenário nacional seja o principal influenciador do mercado neste momento, a economia brasileira “ainda vai sofrer um pouco” depois que o próximo presidente for escolhido. Isso porque ainda há a volatilidade causada pelo noticiário internaiconal. “A série de tweets do presidente Donald Trump acaba tornando o mercado instável”, afirmou.