Ninguém se beneficiará de guerra comercial entre China e EUA, diz Ilan

  • Por Estadão Conteúdo
  • 19/04/2018 15h22
Marcelo Camargo/Agência BrasilIlan afirmou que espera que as duas maiores economias do mundo entrem em negociações e resolvam a tensão por meio de acordos

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou nesta quinta-feira (19) que nenhum país se beneficiará se o aumento da tensão comercial entre Estados Unidos e China se transformar em uma guerra comercial. “Tem havido muito barulho sobre as medidas tomadas de um lado e de outro e os mercados estão ansiosos”, disse o dirigente em entrevista à TV Bloomberg durante a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Washington.

Ilan afirmou que espera que as duas maiores economias do mundo entrem em negociações e resolvam a tensão por meio de acordos.

O presidente do BC afirmou que, para a economia mundial, é melhor a abertura comercial e que é falsa a ideia de que haverá países que se beneficiam de uma eventual guerra. Não haverá beneficiários, disse ele.

Se houver uma guerra comercial, Ilan prevê que aumentará a aversão ao risco no mercado financeiro mundial, elevação dos prêmios e menos fluxos internacionais de capital. “O ambiente benigno que temos vivido nos últimos anos não vai se prolongar”, afirmou ele, ressaltando que não há uma guerra comercial hoje no mundo.