Prévia da inflação em maio fica em 0,59%, mas atinge 12,2% nos últimos 12 meses

Dados foram divulgados pelo IBGE nesta terça-feira, 24, e mostram que remédios foram os itens que mais impactaram na inflação, a maior para maio desde 2016

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2022 11h59
Marcos Santos/USP Imagens Calculadora Alta nos últimos 12 meses é a maior desde 2003

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), considerado uma prévia da inflação do país, ficou em 0,59% em maio. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira, 24. Mesmo tendo registrado uma queda em comparação a abril, quando a taxa foi de 1,73%, foi o maior índice registrado para o mês desde 2016, quando a taxa chegou em 0,86%. Em 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 12,2%, 0,17% a mais do que o registrado nos 12 meses anteriores. Em 2022, os preços para os consumidores registraram uma alta de 4,93%. A taxa de 12,2% é a maior no país desde novembro de 2003, quando o índice ficou em 12,69%. Este foi o nono mês consecutivo em que a inflação anual esteve acima dos dois dígitos.

O grupo que registrou maior aumento foi o de Saúde e Cuidados Pessoais, que registrou um aumento de 2,19%. Em seguida vieram os grupos de Vestuário (1,86%), Transportes (1,80%) e Alimentação e Bebidas (1,52%). Artigos de residência, Despesas Pessoais, Comunicação e Educação registraram altas menores do que 1%. O grupo de Habitação, por sua vez, registrou uma queda de -3,85%. Entre os itens de maior impacto no índice estão os remédios (5,24% de alta e 0,17 p.p. de impacto), produtos de higiene pessoal (3,03% e 0,11 p.p. de impacto), passagem aérea (18,4% de alta) e etanol (7,79%).