Taxa básica de juros deve ter só mais um corte, indica presidente do BC

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2018 12h59
Marcelo Camargo/Agência BrasilA taxa Selic está, atualmente, em 6,5% ao ano – o menor patamar desde 1986. Caso ocorra um novo corte, será o 13º seguido

Mesmo com a inflação oficial baixa em março, o discurso mantido pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, é de que a taxa básica de juros deve sofrer apenas mais um corte, que já pode ocorrer na próxima reunião do Comitê de Política Monetária, prevista para os dias 15 e 16 de maio.

A taxa Selic está, atualmente, em 6,5% ao ano – o menor patamar desde 1986. Caso ocorra um novo corte, será o 13º seguido.

Durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, o presidente do BC declarou que “para reuniões além da próxima [de maio], salvo mudanças adicionais relevantes no cenário básico e no balanço de riscos para a inflação, o comitê [Copom] vê como adequada a interrupção do processo de flexibilização monetária [corte de juros]”.

De acordo com Ilan Goldfajn, os próximos passos da definição dos juros para atingir as metas predeterminadas de inflação “continuarão dependendo da evolução da atividade econômica. Do balanço de riscos, de possíveis reavaliações da estimativa da extensão do ciclo e das projeções e expectativas de inflação”.