Transporte terá mais peso que Alimentação no IPCA a partir de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 11/10/2019 11h29
Bárbara Batista/Agência SenadoAplicativos de transporte é um dos itens que passarão a integrar o índice a partir de 2020

O grupo Transportes se tornará o principal componente da inflação oficial do País, superando a contribuição de Alimentação e Bebidas.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (11) a nova ponderação que servirá como base para o cálculo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a partir da coleta de janeiro de 2020.

O peso do grupo Transportes passa de 21,9527% na ponderação anterior, referente à Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2008/2009, para uma contribuição de 20,8377% na ponderação com base na POF de 2017/2018.

O peso do grupo Alimentação e Bebidas foi reduzido de 22,0828% para 18,9880%. A participação do grupo Habitação passou de 14,2752% para 15,1593%.

O que entra e o que sai do cálculo?

A partir de 2020 a pesquisa vai incluir 56 novos itens no cálculo da inflação. Tratamento de pets, macarrão instantâneo, aplicativos de transporte e streamings são alguns dos itens que serão incluídos a partir do próximo ano.

Em contra-partida, outros itens serão retirados do cálculo. Apenas do grupo de Alimentação e Bebidas, 25 itens não farão mais parte do cálculo. CD e DVD, Fotografia e filmagem, Telefone público e Assinatura de jornal também não serão mais incluídos no IPCA.

A lista completa dos itens pode ser confira aqui.

*Com informações do Estadão Conteúdo