EI fecha escolas e deixa 43 mil crianças sem aula no leste do Afeganistão

  • Por Agencia EFE
  • 15/09/2015 14h40

Cabul, 15 set (EFE).- Aproximadamente, 43 mil crianças da província afegã de Nangarhar, na região nordeste do país, estão sem aula depois que o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) fechou 57 escolas e levou todo o material didático, informou nesta terça-feira à Agência Efe o porta-voz do Departamento de Educação da província, Muhammad Asif Shinwari.

“Das 57 escolas, 25 foram fechadas há 20 dias e as outras 32 baixaram as portas entre ontem e hoje. Estamos preocupados também pela segurança dos documentos e com os materiais de estudantes e professores. A polícia não pode chegar lá e fazer a segurança das escolas”, disse ele, advertindo que se a situação permanecer igual, os insurgentes irão fechar mais instituições de ensino nos próximos dias.

Os colégios fechados estão em distritos onde há meses acontecem combates entre o EI e supostos talibãs. Nangarhar é uma das províncias afegãs mais povoadas, com 820 mil estudantes e 897 colégios.

As tropas internacionais intensificaram os bombardeios contra os talibãs e seus oponentes do EI em vários distritos de Nangarhar, onde ambos os grupos lutam entre si pelo controle de áreas remotas, mas de alto valor estratégico por ficar na fronteira com o Paquistão.

Pelo menos três comandantes do alto escalão do EI morreram nestes ataques, entre eles Hafiz Saeed Khan, líder desta formação no Irã, Afeganistão e Paquistão, na denominada região de Khorasan.

O Estado Islâmico entrou recentemente no Afeganistão, o que alterou o cenário de guerra dos últimos 13 anos. O governo afegão estabeleceu unidades especiais para combatê-lo. EFE