EI reivindica sangrento atentado suicida em área comercial de Bagdá

  • Por Estadão Conteúdo
  • 03/07/2016 11h20
EBAG14. Baghdad (Iraq), 03/07/2016.- Iraqis gather at the site of suicide car bomb attack in the Karada district of central Baghdad, Iraq, 03 July 2016. At least 23 people were killed and 70 others were wounded in a suicide car bomb attack targeted Karada district of Baghdad and other attack by a roadside bomb in Shaab market , Iraqi police said. (Atentado, Bagdad) EFE/EPA/ALI ABBAS EFE/EPA/ALI ABBAS Local onde carro bomba explodiu em Karrada

Pelo menos 80 pessoas morreram e 135 ficaram feridas em um atentado com um carro-bomba realizado nesta madrugada em uma área comercial do centro de Bagdá, que foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Um suicida detonou o veículo que conduzia no meio de uma multidão reunida perto da sorveteria Yabar Abu al Sharbat, localizada na região de Al Karrada, informou à Agência Efe uma fonte da Polícia.

A sorveteria mais popular e antiga da capital iraquiana estava muito movimentada à 1h (horário local, 19h em Brasília) pois, durante o mês sagrado do Ramadã, e mais no verão, é habitual se prolongarem as noites na rua.

A explosão destruiu e incendiou várias lojas em Al Karrada, onde a maioria da população é xiita.

O EI assumiu a autoria do atentado em comunicado assinado e divulgado nas redes sociais, no qual garantiu que o alvo eram os xiitas.

O EI, que avaliou em 40 o número de mortos e em 80 o de feridos, advertiu que “com a permissão de Deus prosseguirão os ataques dos mujahedins contra os renegados”.

O primeiro-ministro iraquiano, Haidar al Abadi, foi para o local do atentado e afirmou que os terroristas “após terem sido esmagados nos campos de batalha cometem ataques com explosivos em uma tentativa desesperada”.

A população não recebeu bem a visita do chefe do governo, contra cujo comboio jogaram pedras.

Além disso, outro carro bomba explodiu no mercado popular Shalal, situado na região de Al Shaab, no nordeste de Bagdá e de população também majoritariamente xiita.

Este atentado causou a morte de um civil e feriu a cinco, além de danificar várias lojas.

O Iraque trava uma luta contra o EI desde junho de 2014, quando o grupo terrorista assumiu amplas regiões do norte e do centro do país e proclamou um califado.