Eleições gerais no Reino Unido, antecipadas por Theresa May, já começaram

  • Por Jovem Pan com EFE
  • 08/06/2017 09h19
REA06 SONNING (REINO UNIDO) 08/06/2017.- La primera ministra británica, la conservadora Theresa May, y su marido y su marido Philip May acuden a votar a un colegio electoral en Sonning, en el condado inglés de Berkshire (sureste de Inglaterra), en la jornada de elecciones generales del Reino Unido, hoy, 8 de junio de 2017. Los británicos votan hoy en unas elecciones generales anticipadas por May para reforzar su liderazgo en la negociación del "brexit" y en medio del estupor por los recientes atentados de Manchester y Londres. EFE/Facundo ArrizabalagaEleições no Reino Unido - EFE

Os cerca de 40 mil colégios eleitorais onde são esperados 46,9 milhões de britânicos para votarem nas eleições gerais do Reino Unido, abriram nesta quinta-feira suas portas às 7h (horário local, 3h de Brasília), em uma jornada que vai durar até às 22h (horário local, 18h de Brasília).

Os dois principais candidatos a chefe de Governo, a atual primeira-ministra, a conservadora Theresa May, que convocou as eleições de maneira antecipada, e o líder do opositor Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, votarão nos seus respectivos distritos durante a manhã.

Em alguns dos colégios, que foram habilitados principalmente em centros comunitários ou escolas do país, entre outras instalações, se dispuseram maiores medidas de segurança, por causa do atentado terrorista ocorrido no último sábado ,em Londres, que deixou oito mortos, informa hoje a “BBC”.

Os primeiros resultados das eleições devem ser divulgados a partir da meia-noite.

Em uma pesquisa realizada pela empresa Opinium, divulgada ontem pela “BBC”, o partido do governo, Tory, com o apoio de 43% dos eleitores, contra 36% da formação liderada pelo esquerdista Corbyn.

No entanto, outras pesquisas divulgadas nos últimos dias indicavam que a distância entre os dois grandes partidos caiu, deixando a disputa quase empatada.

Theresa May convocou, de surpresa, no último dia 18 de abril, as eleições gerais, antecipando em três anos, quando as pesquisas apontavam uma ampla vantagem ao seu partido, mas que foi reduzida durante a campanha.

A primeira-ministra explicou que tinha decidido adiantar o calendário eleitoral, para que o Reino Unido possa contar com uma liderança estável em relação com as negociações sobre a saída do país da União Europeia (UE) ou “brexit”.

O Reino Unido tem um sistema de maioria simples em que cada uma das circunscrições é ganha pelo candidato que consegue a maioria dos votos e descarta o resto.