Em pânico, centenas de pessoas fogem de Katmandu após novo terremoto

  • Por Agencia EFE
  • 14/05/2015 16h42

Sanjeev Giri.

Katmandu, 13 mai (EFE).- Centenas de pessoas que tinham retornado a Katmandu repletas de expectativas positivas pela aparente volta à normalidade tentam fugir novamente, amedrontadas pelo terremoto que voltou a sacudir ontem o vale, onde continuam as réplicas após uma nova noite ao relento.

Multidões com malas se amontoam em pontos de ônibus tentando deixar para trás o medo e a incerteza que voltaram a se instalar na cidade após o terremoto de 7,3 graus que abalou a região mais uma vez, causando mais mortes e deixando centenas de feridos.

“Tudo o que você tem é sua vida, por isso resolvi deixar Katmandu”, disse à Agência Efe Hari Ram, enquanto tentava conseguir uma passagem para Dang, como tantos outros na principal doca da capital, a de Kalanki.

Apenas duas horas depois de retornar ontem à capital do Nepal, Rojina Pathak voltou a sentir que a cidade passava por um novo tremor que arruinava sua esperança de recuperar a vida cotidiana e a deixava “sem outra opção que não passar toda a noite sob uma lona”.

O tremor atingiu especialmente o distrito de Dolakha, por isso suas possibilidades se reduziram a fugir a uma terra desconhecida.

“Minha irmã mais velha está refugiada em um hospital de Kavrepalanchowk. Estou indo me encontrar com ela”, disse Rojina aflita.

Assim como ela, mais de um milhão de pessoas deixaram o vale de Katmandu nos dias seguintes ao grande terremoto de 25 de abril. Duas semanas e mais de oito mil mortes depois, muitas delas planejavam retornar, mas nas últimas horas decidiram mudar os planos.

“Estou horrorizada! Nos três dias seguintes a 25 de abril não houve refúgio apropriado, comida, nem serviços de transporte. Não tenho dinheiro para passar por algo assim outra vez”, declarou à Agência Efe Trishna Giri.

Trishna afirma não ter mais condições de sair correndo a cada vez que o chão treme, como já fez três vezes só hoje de manhã por conta de tremores com intensidades de 4,4 a 4,8 graus na escala de Ritcher.

O forte terremoto de ontem causou 76 mortes e deixou 1.928 feridos. O balanço total de vítimas desses tremores está em 8.219 e de feridos 17.866, de acordo com a última atualização do governo.

O terremoto de 25 de abril foi o de maior magnitude no Nepal em 80 anos e o pior na região do Himalaia em uma década, desde que em 2005 outro sismo deixou mais de 84 mil pessoas mortas na Caxemira. EFE

sg-njd/cdr/rsd