Embarcação com 2.500 refugiados sírios chega ao porto em Atenas

  • Por Agencia EFE
  • 20/08/2015 09h39

Atenas, 20 ago (EFE).- O ferry “Eleftherios Venizelos” com 2.500 refugiados sírios a bordo, vindos de várias ilhas do mar Egeu, atracou nesta quinta-feira no porto de Pireo, em Atenas.

O destino inicial da embarcação era o porto de Salônica, no norte do país, onde era esperado ontem à noite, mas mudou de rota sem que o governo grego, que o fretou , desse nenhuma explicação.

Na chegada, os refugiados, a maioria famílias com crianças e homens jovens, foram amparados por voluntários de ONGs, que distribuíram material informativo, segundo a agência de notícias grega “AMNA”.

A chegada dos 2.500 refugiados sírios ao Pireo provocou a reação do prefeito de Atenas, o liberal Giorgos Kaminis , que, em entrevista à rádio “Skai”, acusou o governo de não ter uma política de imigração consistente.

“Devemos ajudá-los, mas de modo que não prejudique a cidade de Atenas”, destacou Kaminis, ao acrescentar que a capital não pode ser o destino final deles.

Mas nem os refugiados sírios pretendem ficar em Atenas, a intenção é obter os documentos que permita a eles continuar sua viagem “para o norte da Europa”, como alguns deles explicaram à “AMNA”.

O objetivo é atravessar os Bálcãs para chegar aos países da Europa central, antes de a Hungria terminar de construir um muro na sua fronteira com a Sérvia.

Milhares de refugiados sírios fazem todos os dias filas na estação de ônibus interurbanos de Salônica para a passagem fronteiriça de Eidomeni, entre a Grécia e a antiga república iugoslava da Macedônia.

“Há dois meses e meio, centenas de refugiados sírios e imigrantes ilegais compram bilhetes diariamente para viajar para Eidomeni”, declarou o presidente da companhia privada de ônibus KTEL Makedonia, Christos Liupas.

Uma fonte do Ministério do Interior admitiu à Agência Efe que o plano era que estes refugiados fossem transferidos até a fronteira greco-macedônia, mas os planos mudaram no último momento.

De acordo com o site “To Vima”, a decisão de levar a embarcação ao Pireo se deveu a razões diplomáticas, por temer que a chegada em massa de sírios a Salônica e sua mudança para Eidomeni provocasse reações do governo macedônio.

As ilhas do mar Egeu estão transbordadas com a chegada em massa de embarcações devido à proximidade com a costa da Turquia.

Segundo dados publicados pela Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), ó neste ano chegaram à Grécia 160 mil imigrantes e refugiados.EFE