Entenda: Fatores externo e local podem influenciar valorização do dólar

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2018 12h04
Agência BrasilPara entender o que está acontecendo precisamos analisar dois fatores, um externo e outro local

Muita gente tem andado preocupada com a grande valorização que o dólar tem experimentado em relação ao real nestes últimos meses. Pra entender o que está acontecendo precisamos analisar dois fatores, um externo e outro local.

Lá fora o que existe é a política expansionista implementada por Donald Trump nos Estados Unidos que tem acelerado o crescimento daquele país e causado dois efeitos colaterais. O primeiro a valorização dos ativos americanos, como por exemplo as ações e os imóveis. O segundo o aumento das taxas de juros futuros do mercado americano, por causa do medo de uma pressão inflacionária trazida pelo crescimento.

Ambos os fatores, a alta dos preços dos ativos e das taxas de juros, tornam o país atraente para o capital especulativo dos investidores, fazendo com que a procura por dólares seja grande e a moeda americana se valorize contra todas as outras do mundo.

Já no cenário local, a proximidade das eleições tem sido o principal fator para a alta da moeda americana. Isto porque existe uma incerteza em relação a que projeto de governo sairá vencedor do pleito que teremos em outubro e no mercado a palavra incerteza pode sempre ser substituída por “risco”. Com um risco maior, vários investidores preferem tirar seu dinheiro do país e investir em economias tidas como mais seguras, como é o caso do próprio Estados Unidos. Para sair do país precisam vender seus reais e comprar… dólares!

A alta do dólar porém não acontece indefinidamente. Além dos mecanismos a disposição das autoridades monetárias existem os mecanismos de autorregulação do mercado. Com o dólar muito alto frente ao real, os ativos nacionais se tornam mais baratos para os investidores estrangeiros e a partir de um certo nível começam a atrai-los novamente para o país fazendo com que oferta e demanda se equilibrem e a moeda americana pare de subir.