Entidades sindicais criticam possível veto de Dilma do fator 85/95 na Previdência

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2015 10h52
O ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, em coletiva após reunião sobre alternativas ao fator previdenciário, no Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil)O ministro da Previdência Social

Dilma Rousseff deve decidir nesta quarta-feira se sanciona ou veta as mudanças na aposentadoria, diz o ministro da Previdência Social.

Carlos Gabas avalia que a aprovação do sistema que soma idade e tempo de contribuição de homens e mulheres, vai estourar o INSS. (Ouça detalhes no áudio acima)

O fator previdenciário reduz o valor do benefício para quem se aposenta antes dos 60 anos ou 65 anos (mulher e homem). Já o modelo 85/95 estabelece como regra para o contribuinte receber o benefício integral a soma da idade e do tempo de contribuição (85 para a mulher, 95 anos para o homem). Ou seja, uma mulher de 55 anos que contribuiu pagou 30 anos de INSS já poderia se aposentar com valor integral.

Mas o presidente da Força Sindical exige da presidente a aprovação da emenda 85/95. Miguel Torres diz que os trabalhadores levaram um chapéu do Governo Federal e desde já prometem lutar contra eventual veto de Dilma Rousseff.

O presidente da CUT também condenou o Governo pela intenção de vetar a emenda 85/95 e manter o fator previdenciário. Wagner Freitas contesta os cálculos de Dilma Rousseff, para quem a mudança no fator previdenciário vai detonar o INSS:

Os sindicalistas lembram que, se a emenda 85/95 for sancionada, a aplicação das novas regras será discutida com os quatro segmentos envolvidos.

Trabalhadores, empregadores, congressistas e Governo deverão se reunir em um fórum para a elaboração da lei.