Equipe vietnamita encontra grandes manchas de óleo no Golfo da Tailândia

  • Por Agencia EFE
  • 08/03/2014 11h03
EFEBoeing 777-200 da Malaysia Airlines está desaparecido na região desde 2014

Bangcoc, 8 mar (EFE).- A equipe vietnamita que participa da busca do Boeing 777-200 da Malaysia Airlines que desapareceu neste sábado com 239 pessoas a bordo localizou duas grandes manchas de óleo no Golfo da Tailândia onde acredita-se que caiu a aeronave.

O Departamento de Aviação Civil do Vietnã informou em comunicado que as manchas de óleo avistadas por um avião de reconhecimento são de 10 e 15 quilômetros de comprimento e têm similaridade com as quais deixaria o combustível da nave desaparecida.

O resíduo de óleo se encontra ao sul da ilha de Tho Chu, no Golfo da Tailândia.

A Malaysia Airlines e as autoridades malaias evitaram por enquanto confirmar o acidente que, segundo a Marinha vietnamita, ocorreu cerca de 300 quilômetros da ilha de Tho Chu.

O último comunicado da companhia aérea indicou que as “equipes de resgate da Malásia, Cingapura e Vietnã não puderam encontrar nenhum resto do avião”, antes de anunciar que “a missão marítima continuará enquanto a missão aérea será retomada ao amanhecer”.

A medida foi adotada ao cair a noite na região, 17 horas depois que a torre de controle de Subang perdeu o contato com o Boeing 777-200 do voo MH3700, que saiu de Kuala Lumpur e devia chegar a Pequim.

A Marinha da Malásia permanece em contato com as autoridades do Vietnã para confirmar a possível localização do acidente, para onde Malásia, Vietnã e Cingapura enviaram embarcações e helicópteros.

Enquanto isso, a China mantém oito navios em alerta e à espera de ordens, além de uma pequena frota aérea preparada para decolar rumo à região.

A Malaysia Airlines também publicou os nomes dos passageiros logo depois que conseguiu entrar em contato com todos os familiares.

O B777-200 do voo MH3700 transportava 227 passageiros, entre eles dois menores, e uma tripulação de 12 pessoas, todos de 14 nacionalidades distintas.

Segundo a última lista oferecida pela Malaysia Airlines, os passageiros são 154 chineses/taiwaneses, 38 malaios, sete indonésios, seis australianos, cinco indianos, quatro franceses, três americanos, dois neozelandeses, dois ucranianos, dois canadenses, um russo, um italiano, um holandês e um austríaco. EFE