Escócia prepara lei para plebiscito sobre independência do Reino Unido

  • Por Estadão Conteúdo
  • 24/06/2016 10h17
Nicola Sturgeon

Seis horas após o anúncio da vitória do voto pela saída britânica da União Europeia (UE), a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, anunciou que começa a trabalhar na proposta de um novo plebiscito sobre a independência da Escócia do Reino Unido. Com o argumento de que escoceses votaram majoritariamente a favor do grupo europeu, a líder regional disse que é “altamente provável” a realização de uma nova consulta nos moldes da votação feita em 2014.

Enquanto a votação geral do plebiscito deu vitória ao Brexit, por 52% a 48%, o placar na escocês mostrou resultado oposto, 62% de apoio pela união continental contra 38% dados ao Brexit. Por isso, a estadista, que históricamente defende a separação de Edimburgo em relação a Londres, diz que nova consulta sobre a independência é uma opção que “está sob a mesa. Estou determinada a fazer o que for necessário para garantir que essas aspirações sejam materializadas”, bradou.

Nicola classificou como “democraticamente inaceitável” a perspectiva de que a Escócia deixará a União Europeia contra o desejo de seus cidadãos. Por isso, informou que seu governo começa a preparar a legislação para um segundo pleito de caráter separatista. Em 2014, escoceses votaram “Não” à separação dos demais britânicos com vantagem de 55,3%. A primeira-ministra ponderou que, naquela ocasião, muitos votaram “Não” e, agora, poderão reavaliar seu voto diante das novas circunstâncias.