EUA: condenado que passou 21 anos no corredor da morte terá novo julgamento

  • Por Agencia EFE
  • 20/05/2014 01h14

Washington, 19 mai (EFE).- A Suprema Corte do estado de Delaware, nos Estados Unidos, aprovou nesta segunda-feira, por unanimidade, o cancelamento da pena de morte de Jermaine Wright para submetê-lo a um novo julgamento, depois que o condenado passou 21 anos no corredor da morte, informaram hoje fontes judiciais.

Na sentença, da qual a Agência Efe teve acesso, consta que a confissão que serviu como prova contra Wright foi “imprecisa” e que “na busca da verdade está implícita a necessidade de proteger o inocente”.

“Como a Corte reconheceu, nenhum tipo de evidência legal ou de testemunhas vincula Wright com este crime. A única prova contra Wright foi uma confissão falsa e que contradiz os fatos deste caso”, afirmou em comunicado um dos advogados de Wright, Herbert Mondros.

Wright foi condenado pelo suposto assassinato de Phillip Seifert, um vendedor de uma loja de bebidas alcoólicas de 65 anos, na cidade de Wilmington (Delaware) em 1991.

Detido aos 18 anos, o condenado passou 21 anos no corredor da morte e agora está com 41.

“Houve provas suprimidas de maneira ilegal no caso, provas que claramente envolvem outros suspeitos e questionam a credibilidade das duas pessoas que testemunharam no caso”, relatou a defesa.

“Seria desmedido por parte do estado continuar buscando acusações contra este homem inocente condenado equivocadamente”, concluíram os advogados. EFE