EUA dizem ser “críveis” informações sobre morte do mulá Omar

  • Por Agencia EFE
  • 29/07/2015 16h20

Washington, 29 jul (EFE).- Os Estados Unidos qualificaram como “críveis” as informações sobre a morte do líder supremo dos talibãs, o mulá Mohammed Omar, confirmada nesta quarta-feira pelo presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, e que aconteceu em abril de 2013.

“Acreditamos que as informações sobre sua morte são críveis”, disse o porta-voz adjunta da Casa Branca, Eric Schultz, em entrevista coletiva.

Conforme explicou, os serviços de inteligência dos Estados Unidos estão analisando as informações e as circunstâncias em que o líder talibã morreu e ainda não conseguem confirmar quando aconteceu.

Mais cedo, o porta-voz do Diretório Nacional de Segurança do Afeganistão (NDS), Abdul Hassib Sediqi, disse à Agência Efe que o líder insurgente morreu em um hospital da cidade de Karachi, no Paquistão.

“O mulá Omar estava doente e foi hospitalizado há dois anos e quatro meses na cidade de Karachi. Morreu no hospital, mas não sabemos se foi por conta da doença ou por outro motivo. Tínhamos esta informação há dois anos, mas agora é mais confiável”, afirmou Sediqi, que adiantou que mais detalhes serão revelados nos próximos dias.

Em abril deste ano, os talibãs divulgaram através de internet a primeira biografia oficial do mulá Omar, desmentindo sua morte. Agora, o grupo se mantém em silêncio sobre o assunto.

A confirmação da morte acontece em plena aproximação entre o governo afegão e o grupo insurgente, após 13 anos de guerra. EFE