EUA e Reino Unido lideram lista de países com maior presença global

  • Por Agencia EFE
  • 14/05/2015 05h16

Madri, 6 mai (EFE).- Os Estados Unidos se mantêm no primeiro lugar do ranking do Real Instituto Elcano sobre países com maior presença global, enquanto o Reino Unido assumiu a segunda posição, deslocando a Alemanha para terceiro, seguida por China e França, respectivamente.

O Brasil aparece na 19ª posição, sendo o primeiro país da América Latina em presença global no ranking.

O Índice de Presença Global, que foi apresentado nesta quarta-feira pelo Instituto Elcano, mede a projeção internacional de 80 países em função de suas dimensões econômica, militar e em outros âmbitos “brandos” de presença exterior, como o turismo, a cultura, a educação, a tecnologia e a cooperação ao desenvolvimento.

Dado que o estudo reflete, sobretudo, tendências estruturais e de longo prazo, no último ano praticamente não ocorreram mudanças nas primeiras dez posições do ranking, unicamente a ascensão do Reino Unido à segunda posição.

Os pesquisadores atribuem a ascensão do Reino Unido ao segundo posto a uma venda em massa de ouro à Suíça em 2013, um fato isolado, segundo dizem, que provavelmente não permitirá ao país manter sua nova posição em futuras edições do índice.

Em sexto lugar da lista está a Rússia, seguida por Japão, Países Baixos, Canadá e Itália, segundo o presidente do Real Instituto Elcano, Emilio Lambo de Espinosa. A Espanha está em 11°.

O Real Instituto Elcano é um think-tank espanhol dedicado a estudos internacionais e estratégicos que analisa o mundo desde uma perspectiva espanhola, europeia e global e desde 2011 vem elaborando anualmente esta lista de países com maior presença global.

Espinosa precisou que o índice não estabelece uma classificação dos mais poderosos, mas analisa em que medida os países estão “aí fora” moldando o processo de globalização.

Neste sentido, o instituto ressaltou que é possível observar um arrefecimento do processo de globalização que contrasta com uma crescente presença dos países emergentes e da Ásia em detrimento da União Europeia, que o relatório analis a presença como ator único.

Dentro da UE -onde também existe uma alta correlação entre a contribuição à presença global e ao Produto Interno Bruto- o principal contribuinte à presença global da União Europeia é o Reino Unido (19,8%), seguido da Alemanha (16,9%) e França (14,7%).

O relatório também analisa a projeção relativa das principais economias europeias frente aos emergentes Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Neste caso, Miguel Otero, outro pesquisador, destacou o desponte econômico do que denominou “Chimania”, de tal modo que a Alemanha e China -líderes em suas respectivas regiões- puderam alimentar reciprocamente sua presença global ao longo dos últimos anos.

“Alemanha e China são, por enquanto, os grandes campeões da globalização”, destacou Otero.

Outras análises do estudo mostram a crescente presença militar asiática, o vínculo entre política externa e presença global (para os casos da Austrália e África do Sul) e os resultados de um novo indicador de informação, baseado no número de aparições em notícias dos diferentes países.

Neste último tema, os 5 primeiros países deste indicador seriam Estados Unidos, Espanha, Alemanha, China e Reino Unido.EFE