EUA enviarão “ajuda urgente” ao Líbano para fazer frente aos jihadistas

  • Por Agencia EFE
  • 14/08/2014 11h01

Beirute, 14 ago (EFE).- O governo dos Estados Unidos enviará uma ajuda urgente ao Exército libanês para fazer frente ao avanço dos jihadistas, já que a região de Arsal e todo o Líbano seguem sob suas ameaças, afirmou nesta quinta-feira o embaixador americano em Beirute, David Hale.

“Em breve, os EUA entregarão munição, armas ofensivas e defensivas ao Líbano para melhorar suas capacidades, assegurar a proteção das fronteiras e lutar contra os grupos extremistas violentos”, disse Hale após uma reunião com o primeiro-ministro libanês, Tamam Salam, e o titular da Defesa, Samir Mokdel.

Hale anunciou que essas armas “começarão a chegar nas próximas semanas e seu envio prosseguirá durante meses”, reiterando o apoio constante dos EUA à estabilidade e segurança do Líbano.

“Estamos de acordo com os líderes libaneses em que o Estado, através do Exército, deve ser capaz de salvaguardar o Líbano de eventuais atos terroristas e da violência que acompanham alguns grupos”, acrescentou Hale em comunicado.

As Forças Armadas libanesas enfrentaram recentemente os jihadistas da Frente al Nusra e do Estado Islâmico na região de Arsal, próxima a fronteira com a Síria, em confrontos que geraram a morte de 19 militares, enquanto outros 85 ficaram feridos e 20 seguem desaparecidos.

“O Exército e os outros organismos de segurança são os únicos que têm a legitimidade para defender o território libanês e salvaguardar seu povo. Demonstraram que têm capacidade e vontade para fazê-lo, mas necessitam de ajuda”, considerou Hale.

Mantida desde 2006, a ajuda dos EUA ao Líbano já superou o valor de US$ 1 bilhão, segundo o diplomata, que lembrou que, desde o outubro passado, Washington concedeu US$ 120 milhões para o Exército libanês fortalecer seu papel como único defensor legítimo da soberania libanesa. EFE