EUA: Médica de Hillary diz que candidata está apta a servir como presidente

  • Por Estadão Conteúdo
  • 14/09/2016 20h21
MR04 WASHINGTON (ESTADOS UNIDOS) 05/07/2016.- La virtual candidata demócrata a la Casa Blanca, Hillary Clinton, pronuncia un discurso durante la 95ª asamblea de la Asociación Nacional de Educación (NEA) celebrada en Washington, Estados Unidos hoy, 5 de julio de 2016. La Asociación Nacional de Educación es el mayor sindicato de profesores del país. EFE/Michael ReynoldsCandidata democrata Hillary Clinton - EFE

A médica responsável pela saúde da candidata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton divulgou nesta quarta-feira (14) uma carta falando sobre o diagnóstico de pneumonia da democrata. De acordo com a doutora Lisa Bardack, Hillary está “se recuperando bem” e continua “apta a servir como presidente dos Estados Unidos”.

Os detalhes sobre a pneumonia de Hillary foram tornados públicos pelos Democratas depois da candidata sair mais cedo de um evento em homenagem às vítimas do atentado terrorista de 11 de setembro de 2001. Um vídeo que mostrava Hillary cambaleando para chegar ao carro viralizou na internet e alimentou teorias conspiratórias sobre o estado de saúde da democrata.

Sob críticas de falta de transparência, a campanha de Hillary prometeu dar mais detalhes sobre o caso nesta semana. A carta publicada hoje informa que a candidata fez uma tomografia na sexta-feira na qual ficou evidenciada uma “pneumonia bacteriana não contagiosa moderada”, que está sendo combatida com o antibiótico Levaquin. A doença teria se desenvolvido a partir de uma crise de alergias sazonais, que transformaram o quadro em uma infecção do sistema respiratório.

“Eu acabei de falar com ela. Ela está se sentindo ótima e eu acho que ela estará recuperada amanhã”, afirmou o ex-presidente Bill Clinton durante um evento da campanha de sua mulher em Las Vegas. “São tempos malucos nos quais nós vivemos, sabe, quando as pessoas acham que tem algo estranho em pegar uma gripe”, comentou.

No dia 2 de setembro, Hillary visitou a doutora Bardack com um quadro de febre, congestão e fadiga, tratado com antibióticos de curto espectro e repouso. Porém, a condição se agravou e a candidata desenvolveu uma tosse.