EUA processam 16 bancos internacionais por manipular taxa de juros

  • Por Agencia EFE
  • 14/03/2014 19h24

Nova York, 14 mar (EFE).- A Corporação Federal de Seguro dos Depósitos Bancários dos Estados Unidos (FDIC) processou 16 dos principais bancos do mundo perante um tribunal federal de Nova York pela suposta manipulação da Libor, taxa de juros referencial nas transações internacionais.

O processo, dirigido contra entidades de EUA, Reino Unido, Suíça, França, Alemanha, Canadá e Japão, chega depois da investigação que aconteceu no Reino Unido após a explosão nesse país do escândalo de manipulação da Libor em 2012.

Entre os bancos processados estão os americanos JP MORGAN Chase, Bank of America e Citigroup, os britânicos Barclays, RBS e HSBC, e os suíços UBS e Credit Suisse.

O francês Societe Generale, o alemão Deutsche Bank e o japonês Bank of Tokyo-Mitsubishi também aparecem entre os bancos denunciados, assim como a Associação de Banqueiros Britânicos (BBA).

Em sua demanda, a FDIC destaca que a manipulação da Libor causou grandes perdas a 38 bancos quebrados após a crise de 2008 cuja administração teve que assumir.

A Libor é uma taxa básica de juros mundial que é fixada diariamente em Londres para determinar os juros que os bancos pagam entre si e afeta uma grande variedade de produtos financeiros, como hipotecas, empréstimos estudantis e cartões de crédito.

O escândalo explodiu em 2012, quando o banco Barclays teve que pagar 290 milhões de libras após reconhecer que manipulou essa taxa na busca de benefícios econômicos para aumentar sua imagem de força durante a crise.

Por este mesmo escândalo também foram multadas a entidade suíça UBS, com um total de US$ 1,5 bilhão para pagar as autoridades de EUA, Reino Unido e Suíça, e o Royal Bank of Scotland, outros US$ 640 milhões a Reino Unido e EUA.

Como consequência do escândalo, a operadora da Bolsa de Nova York, NYSE Euronext, assumiu o contrato a partir deste ano para administrar ano a Libor, que estava há décadas sendo supervisada pela BBA. EFE