EUA suspendem exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul

  • Por Agencia EFE
  • 21/08/2015 17h58

Washington, 21 ago (EFE).- Os Estados Unidos suspenderam temporariamente nesta sexta-feira os exercícios militares anuais com a Coreia do Sul, após o aumento da tensão com a Coreia do Norte pelas trocas de tiros de artilharia entre forças de Pyongyang e Seul na fronteira entre os dois países.

Em entrevista coletiva em Washington, o secretário-adjunto de Defesa para Assuntos de Segurança na Ásia-Pacífico, David Shear, afirmou que as manobras foram suspensas de forma temporária pelas provocações norte-coreanas, para troca de informações e para “ter um bom entendimento mútuo” com os aliados de Seul.

“Suspendemos parte dos exercícios de maneira temporária para permitir que nossos comandantes pudessem coordenar com a Coreia sobre a troca de artilharia na região desmilitarizada (DMZ), mas agora continuam conforme planejado”, indicou Shear, que não especificou a duração da suspensão.

A Coreia do Sul e os EUA começaram nesta semana o maior exercício militar do verão, o Ulchi Freedom Guardian, com participação de cerca de 80 mil soldados. As manobras continuarão, como estava previsto, até a próxima sexta-feira.

Ontem, as duas Coreias trocaram tiros de artilharia na região desmilitarizada (DMZ), confronto iniciado, segundo Seul, por uma primeira rodada de disparos do Norte, respondida pelo Sul.

Através da agência oficial “KCNA”, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, condenou as ações dos “hooligans” sul-coreanos e alertou sobre o risco de uma guerra nuclear entre os dois países.

Os exercícios são criticados todos os anos pelo regime comunista de Pyongyang, que reiteradamente ameaça atacar a Coreia do Sul.

Os EUA, que mantém 28.500 soldados na Coreia do Sul, tem o poder de comandar as operações militares em Seul se for retomada a guerra contra Pyongyang. O conflito, que durou três anos, foi encerrado em 1953, após a assinatura de um armistício.

A troca de tiros elevou a tensão militar na península da Coreia em mais de dois anos, que já estava alta desde o início do mês.

No dia 4 de agosto, dois soldados sul-coreanos ficaram gravemente feridos pela explosão de três minas antipessoais nos arredores da fronteira. Seul diz que elas foram colocadas de propósito por Pyongyang. EFE