Ex-ministra do STJ fala em “força política” para melhorar segurança no país

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2017 15h38
Brasil, Salvador, BA, 25/05/2012. A corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, durante o XIIº Congresso Brasileiro do Direito do Estado, realizado em Salvador. - Crédito:FERNANDO AMORIM/AGÊNCIA A TARDE/AE/Codigo imagem:116215Ex-ministra do STJ Eliana Calmon - AE

O Plano Nacional de Segurança foi apresentado nesta sexta-feira pelo ministro da Justiça, Alexandre Moraes, como algo criado com o objetivo de melhorar as condições dos presídios brasileiros e também aumentar a fiscalização. Segundo a ex-ministra do Supremo Tribunal de Justiça Eliana Calmon é preciso muita força política e superação de interesses para resolver o problema da segurança no país.

“No fundo, a gente verifica que as coisas não são executadas. Porque tem de haver uma vontade política de resolver isso (questão da segurança) e essa vontade esbarra em muitos interesses, inclusive econômicos. Porque a falta de segurança pública rende muito dinheiro para algumas categorias”, analisou Calmon.

De acordo com a ex-ministra do STJ, os últimos acontecimentos deixaram claro de que as autoridades perderam o controle sobre as facções criminosas, que praticamente tomam conta do país, apesar do Estado negar.

“As autoridades não aceitam que o Estado tenha perdido as rédeas e o comando disso (das facções). Mas sem dúvida nós estamos vendo. Aliás, no Estado de São Paulo, há alguns anos atrás, nós tivemos declaradamente isso. Onde o governo teve que negociar, inclusive com facção. Então as coisas se agravam muito, a partir do momento em que o Estado está perdendo o controle sobre a segurança pública nacional”, disse.

Confira no áudio acima a entrevista completa da ex-ministra do STJ Eliana Calmon.