Ex-presidente do BC prevê retomada do ciclo de alta dos juros já a partir de 2015

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2014 13h24

O mercado brasileiro espera pela manutenção da taxa básica de juros na próxima reunião do Copom, (Comitê de Política Monetária) do Banco Central. As atuais condições da economia brasileira, como a inflação ainda abaixo do teto da meta, indicam que o ciclo de altas da Selic deve ser interrompido.

Segundo o ex-presidente do BC Carlos Langoni, o governo se vê diante de um paradoxo e o Copom necessariamente teria que quebrar a sequência de elevação dos juros. Porém, prevê que o ciclo seja retomado tão logo.

“(…) A atividade econômica começou ano de forma muito lenta, muito mais frágil do que se projetava. Os índices de confiança tanto dos empresários quanto dos consumidores estão em queda. E, portanto, nessa escolha, o Banco Central, provavelmente, vai decidir por interromper o ciclo de alta dos juros, mas, talvez, esse ciclo tenha que ser retomado a partir de 2015”, analisou.

Questionado se há risco de uma piora geral, Langoni criticou a condução da economia brasileira: “Eu vejo é uma economia que está relativamente parada, o crescimento esse ano, de novo, decepcionante, em torno de 1,6%; essa combinação, essa armadilha de crescimento baixo com inflação alta se permanecer mais tempo, começa a ameaçar a mobilidade social e a vitalidade do mercado de trabalho (…)”, explicou o economista.

Para acompanhar a entrevista completa com a editora de economia da JOVEM PAN Denise Campos de Toledo, ouça o áudio.