Exército iraquiano mata 25 jihadistas em Duiliba

  • Por Agencia EFE
  • 08/04/2014 10h44

Bagdá, 8 abr (EFE).- Pelo menos 25 combatentes do jihadista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) morreram nesta terça-feira em uma operação de segurança do exército iraquiano em Duiliba, ao sudoeste de Bagdá, onde ocorreram duros combates na semana passada.

O porta-voz das operações de segurança em Bagdá, Saad Maan, informou em comunicado que os soldados da XVII Brigada do Exército iraquiano executaram os terroristas sem dar mais detalhes.

Os jihadistas tentaram atacar uma posição militar em Duiliba em 3 de abril, mas o ataque foi repelido pelas forças armadas, que mataram 40 combatentes do EIIL, segundo explicou na ocasião o porta-voz.

Um oficial do exército também morreu no confronto, após os quais os militares apreenderam grandes quantidades de armas.

As tropas iraquianas estão enfrentando desde o início do ano os jihadistas do EIIL na província ocidental de Al-Anbar, de maioria sunita, onde os extremistas controlam zonas das cidades de Faluja e Ramadi.

Um bombardeio do exército contra bairros de Faluja deixou hoje cinco mortos e 25 feridos, assim como grandes destroços materiais.

Em Ramadi, dois soldados morreram e seis ficaram feridos em um ataque de homens armados contra um posto de controle militar.

A origem do EIIL é o chamado Estado Islâmico do Iraque, uma aliança de organizações radicais nascida sob o amparo da Al Qaeda em território iraquiano em outubro de 2006 durante a ocupação americana.

Em abril do ano passado, o grupo acrescentou a seu nome “e do Levante” e anunciou que começava a operar na Síria, embora a cúpula da Al Qaeda tenha pedido que a organização atuasse somente em seu país de origem. EFE