Explosão de carro-bomba em reduto do Hezbollah deixa 5 mortos e 40 feridos

  • Por Agencia EFE
  • 16/01/2014 09h05

Beirute, 16 jan (EFE).- Pelo menos cinco pessoas morreram e 40 ficaram feridas nesta quinta-feira em um atentado com carro-bomba perpetrado na cidade de Hermel, no nordeste do Líbano e fronteiriça com a Síria, um dos redutos do grupo xiita Hezbollah.

Segundo um comunicado da Cruz Vermelha Libanesa (CRL), o fato se tratou de um atentando suicida, como também indicou o ministro de Saúde, Ali Hassan el Khalil.

A Cruz Vermelha Libanesa enviou 50 médicos e 11 ambulâncias para atender as vítimas, que foram levadas aos hospitais locais.

O ministro do Interior libanês, Marwan Charbel e o prefeito de Hermel, Sobhi Saqr, concordaram com o ministro de saúde e disseram que o ocorrido foi perpetrado por um suicida.

De acordo com a rede de televisão Al Yadid, o suicida levava encostado ao corpo um cinto explosivo e, além disso, o carro no qual se deslocou até o local estava carregado com material explosivo.

O atentado ocorreu perto dos escritórios governamentais de Hermel, nos quais provocou grandes danos materiais.

A explosão, a primeira na região de Hermel, aconteceu a poucas horas da abertura do processo em Haia contra os supostos assassinos do ex-primeiro-ministro libanês Rafik Hariri, que morreu em um atentado com caminhão-bomba em 14 de fevereiro de 2005, no qual outras 22 pessoas perderam a vida e 26 ficaram feridas.

Nos últimos meses, o Líbano foi palco de frequentes atentados terroristas, principalmente contra redutos do grupo xiita, em castigo por sua participação nos combates na Síria.

A explosão de um carro-bomba em 2 de janeiro em um reduto do Hezbollah em Beirute deixou quatro mortos e 77 feridos, seis dias depois que uma ação similar, mas contra os opositores ao movimento xiita, deixasse nessa cidade sete mortos, entre eles o ex-ministro de economia Mohammed Chatah. EFE