Exportações da China têm queda anual de 4,8% em junho

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/07/2016 08h21
Nos três primeiros meses do ano, o Porto de Paranaguá assumiu a liderança na exportação de congelados, ultrapassando Santos e Itajaí. Foto: Divulgação APPAPorto Paranaguá

As exportações da China medidas em dólares continuaram a cair, em junho, à medida que a demanda global por bens da segunda maior economia do mundo se manteve fraca. Na comparação anual, as vendas chinesas tiveram queda de 4,8% no mês passado, após recuarem em ritmo mais comedido, em maio, de 4,1%, segundo dados publicados, nesta quarta-feira (13), pela Administração Geral de Alfândega do país asiático.

Os números sugerem que os embarques externos da China, que já foram um importante fator de crescimento, continuam prejudicando o desempenho geral da economia.

De qualquer forma, o resultado das exportações, em junho, foi melhor do que a queda anual de 5% prevista por 15 economistas consultados pelo The Wall Street Journal.

Já as importações chinesas sofreram uma redução anual de 8,4%, em junho, bem maior que o declínio de 0,4% verificado, em maio, e também mais intensa que a queda de 6,4% projetada pelo mercado.

O superávit comercial de Pequim diminuiu para US$ 48,11 bilhões, em junho, de US$ 49,98 bilhões, em maio, mas a previsão dos economistas era de saldo positivo ainda menor, de US$ 45,65 bilhões.