Falta de reajuste provoca clima de rebelião na Receita, com entrega de cargos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 08/07/2016 15h24
Brasil, Brasília, DF, 21/07/2008. Retrato do secretário da Receita Federal do Brasil, Jorge Rachid, dá entrevista às 11 horas e apresenta o resultado de junho da arrecadação dos tributos federais e das contribuições previdenciárias, no Ministério da Fazenda. - Crédito:CELSO JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:187916Cúpula da Receita em Brasília e as 10 superintendências do Fisco manifestaram a insatisfação em carta ao secretário

O clima é de rebelião na Receita Federal com a crise instalada pela demora do governo em enviar ao Congresso Nacional projeto de reajuste salarial dos auditores fiscais, segundo apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. 

Numa ação sem precedentes, a cúpula da Receita em Brasília e as 10 superintendências do Fisco espalhadas pelo Brasil manifestaram em carta ao secretário do órgão, Jorge Rachid, a insatisfação da categoria e alertaram para os riscos graves para o esforço de arrecadação de impostos e contribuições federais neste momento de crise fiscal.

Auditores que ocupam posições de chefia no Rio Grande do Sul, entre delegados inspetores e chefes de divisão, fizeram um manifesto e entregaram os cargos. O que ampliou a insatisfação é que o Ministério do Planejamento enviou Medida Provisória (MP) que garante bônus para os peritos do INSS. Há movimentação em outros Estados para a entrega de cargos, segundo fontes do órgão