Farah Jorge Farah terá julgamento adiado, diz defesa do ex-médico

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2014 08h46
Farah Jorge Farah

Defesa afirma que novo julgamento do ex-cirurgião plástico Farah Jorge Farah, inicialmente marcado para a esta segunda-feira, será adiado. Os defensores do réu alegam que apenas três de suas oito testemunhas foram intimadas e, por isso, o júri será remarcado.

Eles afirmam, inclusive, que seu cliente já foi dispensado de comparecer hoje ao Fórum da Barra Funda. Em 2008, Farah Jorge Farah chegou a ser condenado a 13 anos de prisão pela morte e ocultação de cadáver da ex-namorada, Maria do Carmo Alves.

Mas o júri foi anulado porque, segundo a defesa, os jurados ignoraram laudos oficiais que atestavam o estado semi-imputável do ex-cirurgião. O advogado de Farah Jorge Farah, Odel Antun, ressalta sua expectativa quando o julgamento for realizado.

Antun prevê que “o juri se ralizará em 12 de maio” e, defendendo seu cliente, classifica a situação de sua prisão e o primeiro julgamento como “uma situação absolutamente cinematográfica”.

O crime ocorreu em janeiro de 2003 no consultório do ex-cirurgião plástico na zona Norte de São Paulo. Falando do repórter Andre Aguiar, o promotor de Justiça, Andre Bogado Cunha, espera pela realização do júri e nova condenação do réu.

“O ministério público espera, sim, que ele seja condenado”, garante Cunha. “(Farah) sabia muito bem o quer estava fazendo”, afirma o promotor. “Que os jurados reconheçam a mesma coisa que reconheceram no outro julgamento”, espera Cunha, desde que lembrem de fazer constar no relatório ao juiz as cláusulas legais necessárias.

Na época, Farah Jorge Farah confessou o assassinato, mas afirmou ter sofrido um “lapso de memória” em relação aos detalhes do crime. Disse ainda que se lembrava apenas da chegada da ex-namorada ao consultório e que agiu em legítima defesa, uma vez que a vítima o perseguia.