FBI detém homem que planejava atacar Congresso nos EUA inspirado pelo EI

  • Por Agência EFE
  • 14/01/2015 21h09

O FBI prendeu nesta quarta-feira um homem acusado de planejar um atentado contra o Congresso americano, onde detonaria várias bombas inspirado por sua simpatia ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Christopher Lee Cornell, 20 anos, natural de Cincinnati, no estado de Ohio, foi detido hoje sob a acusação de tentativa de assassinato contra funcionários do governo dos Estados Unidos, detalharam as autoridades.

Hoje mais cedo, dentro dos “passos finais” para viajar a Washington para o ataque, Cornell comprou dois rifles semi-automáticos e 600 cartuchos de munição em uma loja em Ohio, apontou o FBI.

Segundo a rede de televisão “ABC”, o suspeito planejava detonar bombas caseiras no Capitólio e abrir fogo contra funcionários e congressistas que fugissem depois das explosões.

O FBI interceptou Cornell pela primeira vez em agosto, depois de um informante comunicar que ele tinha expressado seu apoio à jihad de maneira violenta em uma conta no Twitter sob pseudônimo de “Raheel Mahrus Ubaydah”.

Cornell teria ainda publicado declarações, vídeos e outros conteúdos de apoio ao EI.

“Acho que deveríamos empreender a jihad sob nossas próprias ordens e planejar ataques e tudo”, escreveu Cornell em mensagem eletrônica enviada ao informante em agosto, segundo o FBI.

“Acho que devemos cumprir e fazer nosso próprio grupo, em aliança com o Estado Islâmico aqui e operações planejadas por nós mesmos”, acrescentou.

Esses ataques já teriam recebido a aprovação do clérigo radical Anwar Awlaki “antes de seu martírio”, em referência a morte dele, considerado o cérebro de vários planos terroristas contra os Estados Unidos e que morreu em um ataque aéreo americano em 2011.

As autoridades americanas consideravam Awlaki um líder operacional dentro da Al Qaeda na Península Arábica, o grupo terrorista com base no Iêmen que reivindicou a autoria dos atentados terroristas da semana passada em Paris, que causaram 17 mortes.