Figueiredo vai ao Paraguai tratar da Cúpula do Mercosul e de projetos de infraestrutura

  • Por Agencia Brasil
  • 16/01/2014 20h05

 

Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Projetos de infraestrutura entre o Brasil e o Paraguai e a preparação dos dois países para a 46ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados foram os principais temas tratados hoje (16) pelo ministro de Relações Exteriores brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo Machado, e o colega paraguaio, Eladio Loizaga Caballero.

Figueiredo está em visita ao país vizinho e se encontrou com Eladio Caballero pela manhã, antes de ser recebido pelo presidente, Horácio Cartes. Os dois chanceleres falaram sobre o retorno do Paraguai às reuniões do Mercosul e à cúpula de chefes de estado do bloco, que ocorrerá em Caracas.

“Estamos muito felizes que o Paraguai vai estar na cúpula, na Venezuela. Falamos sobre essa força que o Paraguai traz outra vez ao Mercosul como um sócio-fundador. Isso para nós é uma questão muito importante”, disse o ministro brasileiro ao fim da reunião.

O Paraguai foi suspenso do bloco após o impeachment do presidente Fernando Lugo, em 2012. Uma das regras do Mercosul é que os países que participam do bloco devem seguir regras democráticas. A cassação de Lugo foi considerada uma ruptura no regime democrático do país. Com a eleição de Horácio Cartes, o Paraguai volta a atender a todos os requisitos para a participação no Mercosul.

Projetos de integração ferroviária e que possibilitem a ampliação das relações comerciais e do fluxo de pessoas na região de fronteira também foram assuntos tratados na visita. O Brasil e o Paraguai têm investido no aumento dessas relações como forma de fortalecer o intercâmbio comercial. O comércio bilateral entre os dois países cresceu 12% em 2013 em relação ao ano anterior, atingindo a cifra de R$ 4 bilhões.

O ministro Figueiredo ressaltou também a relação de amizade entre os dois países que tem gerado apoio em questões conjuntas em organismos internacionais como a Organização das Nações Unidas (ONU). Ele agradeceu o “respaldo” oferecido pelos paraguaios às iniciativas brasileiras no órgão e lembrou os constantes encontros entre os dois presidentes.

“O presidente Cartes e a presidenta Dilma têm uma relação de grande amizade, já se encontraram quatro vezes e se eu estou aqui é a consequência da importância que o Brasil e o governo da presidenta Dilma Rousseff dão à relação com o Paraguai”, disse.

 

Edição: Aécio Amado

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil