Florianópolis registra maior frio em junho dos últimos 115 anos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/06/2016 12h41
Cachoeira congelada

Não faltam recordes de frio em Santa Catarina. Na madrugada desta segunda-feira (13), Florianópolis registrou, segundo o Climaterra, apenas 0,6°C, a temperatura mais baixa registrada desde a instalação da estação meteorológica mais antiga da cidade, há 115 anos. A capital catarinense havia registrado 2°C em 1994.

O esperado para este período do ano seria mínima de, no máximo, 10°C. O frio foi fortalecido pelo encontro de uma massa polar com outra vinda da Patagônia. A previsão dos meteorologistas é de que as temperaturas subam durante a semana. 

Temperaturas negativas

No amanhecer desta segunda-feira, fez -8,5°C em Urupema, na serra, considerada a cidade mais fria do Brasil. Segundo a Central Meteorológica de Santa Catarina, a Epagri/Ciram, essa é a temperatura mais baixa dos últimos seis anos.

Outras 42 cidades tiveram temrometros abaixo do zero. Em Bom Jardim da Serram fez -7,9°C, em São Joaquim, -5,7°C, em Porto União, -4,6°C, e, em São Bento do Sul, -4,4°C. Além disso, já é o sexto dia seguido de geada, um fenômeno considerado raro.

Não são apenas os jardins, as árvores das praças e as cachoeiras dos parques de preservação que congelaram. Muitos serranos ficaram sem água no fim de semana, pois o líquido ficou petrificada dentro das torneiras. As margens do Rio Pelotas, em Bom Jardim da Serra, com 50 metros de largura, também viraram pedra.

“É raríssimo o congelamento de águas em movimento no Brasil”, explicou o engenheiro agrônomo do Climaterra Ronaldo Coutinho.

‘Nova York’

A média da temperatura da serra equivale a dezembro em Nova York. O “inverno” surpreende por ter começado mais cedo, em 26 de abril, o que não ocorria há aproximadamente seis décadas.

Outra questão é a sequência de temperaturas negativas. Desde 1° de junho, as cidades mais frias da serra estão abaixo de zero. No fim de semana, chegou a cair um pouco de neve.