Flórida se prepara para chegada de tempestade tropical Erika

  • Por Agencia EFE
  • 29/08/2015 00h17

Miami, 28 ago (EFE).- O estado americano da Flórida se prepara para a previsível chegada na próxima segunda-feira de Erika, a quinta tempestade tropical da atual temporada de furacões no Oceano Atlântico, cuja trajetória rumo à península motivou o governador Richard Lynn Scott a decretar o estado de emergência nesta sexta-feira.

“A tempestade tropical Erika representa uma severa ameaça a todo o estado da Flórida e requer precauções antecipadas para proteger as comunidades, infraestruturas críticas e, em geral, o bem-estar do estado”, disse Scott em sua ordem executiva.

No boletim mais recente, o Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) informou que Erika se encontrava sobre a República Dominicana, onde ocorrem intensas chuvas e fortes ventos. Se a trajetória for mantida, a tempestade tocaria a terra pela costa oeste da Flórida na manhã de segunda-feira.

O centro meteorológico prevê que Erika não se transformará em furacão ao chegar à Flórida, como estava previsto inicialmente, quando os cálculos davam a entender que entraria pela costa leste do estado.

O governador demonstrou especial preocupação com as possíveis inundações que Erika possa gerar na baía de Tampa, no oeste, onde no início do mês foram registradas grandes inundações que obrigaram o deslocamento de cerca de 50 pessoas e deixaram estragos em imóveis e infraestruturas urbanas.

“As tempestades tropicais e os furacões produzem muita água em nosso estado e causam bastantes inundações. Essa é minha maior preocupação atualmente, as inundações”, declarou Scott em entrevista à emissora “CNN”.

Em meio à chegada de Erika, o governo da Flórida mantém oito mil oficiais da Guarda Nacional prontos para serem mobilizados caso seja necessário, e mantém contato permanente com a Agência Federal para o Manejo de Emergências (Fema), segundo Scott.

O governador acompanhou de perto os preparativos para a chegada de Erika à península e se reuniu nesta sexta-feira com o Centro de Operações de Emergência do condado de Miami-Dade, para depois ir à cidade de Tampa a fim de estudar medidas de prevenção na região, caracterizada por suas terras úmidas.

A Guarda Costeira emitiu um alerta a navegantes e portos pelos fortes ventos que podem chegar à costa da Flórida nas próximas 72 horas e pediu à população que se mantenha longe da água e das praias.

Segundo o boletim das 18h do NHC, Erika se encontra sobre a República Dominicana, a cerca de 155 quilômetros de Santo Domingo e a 415 quilômetros do sudeste das Bahamas. O centro meteorológico assinalou que a tempestade se desloca rumo a oeste com uma velocidade de 33 km/h e ventos máximos sustentados de 85 km/h.

Na República Dominicana e no Haiti, a expectativa é que Erika deixe mais de 200 milímetros de acúmulo de água. As autoridades mantêm um alerta de tempestade tropical para ambos os países, assim como para as ilhas Turks e Caicos, Bahamas central e o sudeste das Bahamas.

Também foi ativada uma vigilância de tempestade tropical para as províncias cubanas de Ciego de Ávila, Camaguey, Las Tunas, Holguín e Guantánamo, além disso do noroeste das Bahamas.

O NHC prevê que o ciclone gire rumo ao noroeste durante esta noite, e que nos próximos dias reduza sua intensidade até domingo, quando enfim seguir rumo à Flórida. Erika se transformaria em depressão tropical durante a tarde de terça-feira, de acordo com os cálculos.

A passagem de Erika pelo Caribe deixou vítimas na ilha de Dominica, onde causou pelo menos 20 mortes, dezenas de desaparecidos e infraestruturas “devastadas”, segundo as autoridades.

Cinco tempestades tropicais foram formadas desde o dia 1º de junho, que marcou o início da temporada de furacões no Atlântico: Ana, Bill, Claudette, Danny – essa última transformada no primeiro furacão de categoria maior (3) da temporada – e Erika. EFE