Fonplata destaca avanços em projetos binacionais e nas fronteiras

  • Por Agencia EFE
  • 26/05/2014 15h34

São Paulo, 26 mai (EFE).- O Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata), composto por Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai, destacou nesta segunda-feira em São Paulo durante sua Assembleia de Governadores os avanços do organismo em matéria de projetos binacionais e nas ações nas áreas de fronteira.

Desde seu relançamento em 2012, quando ampliou seu capital e formulou um Plano Estratégico Institucional, “podemos destacar áreas bem-sucedidas, como os projetos binacionais com interesse real e muitas ações em áreas de fronteira”, disse à Agência Efe o presidente-executivo do fundo, Juan Notaro Fraga.

Os governadores do Fonplata se reuniram hoje em São Paulo para avaliar os alcances do plano estratégico.

“Os primeiros resultados são muito favoráveis. É uma instituição que mudou e os ministros manifestaram sua conformidade pelo foco de ação. O programa de ações cobre as expectativas com US$ 260 milhões em 2014, que supera a meta de US$ 250 milhões (de crédito) para este ano”, apontou o engenheiro de origem uruguaia.

Na reunião participarão os ministros de Economia e Fazenda de do Paraguai, Germán Rojas Irigoyen, e do Uruguai, Mario Bergara Duque; além da ministra de planejamento da Bolívia e que deixou a presidência da Assembleia, Viviana Caro, e a do Brasil, Miriam Belchior, que a sucede no organismo.

Pela Argentina participou Ignacio Negroni, diretor de Projetos com Organismos Internacionais de Crédito do Ministério da Economia e Finanças Públicas.

Notaro Fraga ressaltou que, desde o relançamento do Fonplata em 2012, o organismo “conviveu com boa disposição” com outros mecanismos de fomento na região, como o Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem) e a Iniciativa de Integração Regional sul-americana (IIRSA).

“Trabalhamos em conjunto e estabelecendo vínculos, por exemplo, com a CAF (Corporação Andina de Fomento)”, afirmou o titular do Fonplata, que comentou também que outros países da região manifestaram interesse, “através de consultas”, de se associar ao fundo.

“Por enquanto são consultas. Estamos ainda em uma etapa de relançamento. Mas a participação vai aumentar na medida em que avançarmos”, ressaltou.

A sede do Fonplata, criado em 1974 para fornecer apoio financeiro e técnico na região, fica na cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra. EFE

wgm/tr