França bombardeia Estado Islâmico “em legítima defesa”, diz Valls

  • Por Agencia EFE
  • 27/09/2015 14h13

Paris, 27 set (EFE).- O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, disse neste domingo que os bombardeios franceses na Síria têm como alvo “os santuários do Estado Islâmico onde os jihadistas se formam para atacar a França”, por isso que considerou que seu país atua “em legítima defesa”.

Em entrevista à imprensa após o anúncio hoje pelo Palácio do Eliseu do começo dos bombardeios, Valls disse que a França escolhe de maneira autônoma os alvos dos bombardeios, embora os realize em coordenação com seus parceiros, principalmente os americanos.

Após apontar que os bombardeios continuarão “o tempo que for necessário”, Valls lembrou que a França “adapta sua estratégia” e atua “sobre todas as frentes na luta contra o terrorismo, bombardeando o Estado Islâmico”.

Há um ano, o Exército francês opera contra esse grupo terrorista no Iraque com um contingente de mais de 700 soldados, mas na Síria se limitava até agora a enviar armas e equipes de telecomunicações aos rebeldes.

Valls reiterou hoje “a necessidade de uma transição política e democrática sobre a base das conversas de Genebra com os elementos moderados da oposição e com elementos do regime” sírio, mas ao mesmo tempo insistiu que o presidente “Bashar al Assad não pode ser a solução na Síria”.

Para o chefe do Executivo, a força da França é sua “independência e sua capacidade de falar com todos sem se alinhar com ninguém”, algo que segundo sua opinião porá hoje em prática o presidente francês, François Hollande, perante a Assembleia Geral da ONU.

O primeiro-ministro acrescentou que Hollande receberá nas próximas semanas seu colega iraniano, Hassan Rohani, e se reunirá de novo com o líder russo, Vladimir Putin. EFE