Freira de 71 anos estuprada na Índia tem alta do hospital

  • Por Agencia EFE
  • 20/03/2015 09h32

Nova Délhi, 20 mar (EFE).- A freira de 71 anos que foi estuprada há uma semana durante um roubo na Índia, provocando fortes protestos da minoria católica no país, recebeu alta nesta sexta-feira do hospital em que estava internada.

A freira deixou o hospital da cidade de Ranaghat, no estado de Bengala, na madrugada e viajou para a capital regional, Calcutá, onde tomou um voo para um destino desconhecido, segundo a imprensa indiana.

“Ela recebeu alta oficialmente às 2h20 (local), levou 25 minutos para recolher todos os seus pertences e ir”, explicou o superintendente do hospital, A.N. Mondol.

Na saída do hospital, a religiosa abençoou a equipe médica e agradeceu o tratamento recebido, disse Mondol.

Na sexta-feira passada um grupo de ladrões entrou em um colégio cristão em Ranaghat, roubaram diversos objetos e, antes de fugir, um dos homens estuprou a freira após perguntar pela mãe superiora.

“Entendemos que o crime principal era um delito contra a propriedade”, disse há poucos dias à Agência Efe o superintendente do distrito de Nadia, Ajoy Prosad, apesar de não ter descartado motivos religiosos, “já que o assalto foi a um colégio cristão”.

O principal responsável da Igreja Católica na Índia e presidente da Conferência de Bispos, o cardeal Baselios Cleemis, pediu na terça-feira que o governo faça justiça “o mais rápido possível”, criticando ainda não ter havido nenhuma detenção.

Ele disse que o país deveria se preocupar com o bem estar das pessoas tanto quanto se preocupa com o das vacas, em uma crítica aos nacionalistas hindus que hostilizam as minorias católica e mulçumana.

Esse foi o ataque mais grave de uma série de incidentes que espalharam o medo entre os cristãos desde que ativistas, encorajados pela vitória de Modi nas eleições do ano passado, começaram a “Wapsi ghar” (volta para casa), uma campanha de conversão dos fieis de outras religiões ao hinduísmo.

“As irmãs perdoaram, mas a justiça deve ser visível e este tipo de ato não deve voltar a ocorrer”, afirmou o cardeal em entrevista coletiva em Ranaghat.

Milhares de pessoas se manifestaram em Bengala depois do ataque para mostrar seu apoio à freira.

A Índia tem 24 milhões de cristãos, 1,2% da população de 1,25 bilhão de habitantes, especialmente em estados do nordeste e do sul e na capital, Nova Délhi. EFE