Funcionários da CPTM em greve podem ser demitidos se paralisação for decretada ilegal, diz secretário

  • Por Jovem Pan
  • 03/06/2015 08h37
Greve da CPTM paralisa trens em São Paulo

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã da Jovem Pan desta quarta-feira (03), o secretário de Transportes Metropolitano, Clodoaldo Pelissioni, afirma que a prefeitura vai recorrer na Justiça declarando a ilegalidade da paralisação do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo e do Sindicato dos Trabalhadores da Central do Brasil. A greve interrompe o funcionamento das linhas 7, 10, 11 e 12 da CPTM. “Também trabalhamos com a possibilidade de demissões se essa ilegalidade foi comprovada”, conta.

O secretário também diz acreditar que as motivações da greve são políticas porque ambas as partes estavam de acordo em manter o funcionamento do sistema de transporte público durante o andamento das negociações. “Ontem houve reunião com o desembargador e a proposta era que continuássemos essa negociação até dia 11 e os funcionários não fizessem paralisação, mas dois dos sindicatos fizeram”, e completa, “entendemos que eles cometeram uma irresponsabilidade, uma irregularidade”.

Pelissioni ressalta que as negociações estão avançando, mas que a conjuntura nacional não é favorável com a atividade econômica e a arrecadação do imposto em queda. “O governo de São Paulo não só já concordou em repor as perdas inflacionárias do período de março de 2014 a março de 2015 como concordou com a proposta de dar um ganho real de 1,5% a título de produtividade”, detalha.

De acordo com o secretário, a expectativa é que os funcionários retomem as atividades ainda na tarde desta quarta.