Gegê do Mangue é condenado a mais de 47 anos de prisão, mas segue foragido

  • Por Jovem Pan
  • 03/04/2017 20h17
Gegê do Mangue - Divulgação

Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, número três do PCC, foi condenado a 47 anos, sete meses e 15 dias de prisão por dois homicídios triplamente qualificados e associação criminosa. Ele continua foragido e por isso foi julgado à revelia, já que não compareceu ao julgamento. 

Segundo a denúncia, as duas vítimas foram executadas porque eram traficantes que mataram dois integrantes do PCC numa disputa por pontos de venda de droga.

O júri do dirigente do PCC já havia sido adiado cinco vezes; a última delas em 20 de fevereiro. Neste dia, Gegê do Mangue nem apareceu no Fórum porque era um homem livre devido a uma decisão de outro caso ao qual ele respondia na comarca de Presidente Venceslau. Esse caso era o único sobre o qual ele tinha alguma prisão em vigor e ela foi revogada.

O julgamento começou por volta do meio dia e se encerrou aproximadamente 19h40 sem contar com a presença de testemunhas, indo direto para a parte de debate de acusação e defesa. De acordo com os advogados do condenado, a pessoa citada nas gravações, que sumiram do cartório do Fórum Criminal da Barra Funda, não era ele. A defesa deve recorrer da decisão.

*As informações são do repórter Tiago Muniz