Geóloga elogia trabalho preventivo contra enchentes e pede atenção com ocupações

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2016 17h09
Na foto Paulo Pinto/Fotos Públicas Chuva causa transtornos na Grande SP

A semana passada foi de tragédias na Grande São Paulo por conta de alagamentos e deslizamentos de terra causados pelas fortes chuvas que atingiram a região. Enquanto as autoridades tentam reparar os estragos, Lídia Tominaga, geóloga do Instituto Geológico da Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo, analisou a situação em entrevista à Rádio Jovem Pan neste sábado (12) e avaliou as causas e consequências do episódio.

“Houve chuva bastante intensa entre quinta e sexta, mas não só esta, também teve chuvas regulares antes. Isso causa alteração das rochas, principalmente onde o material é instável e a declividade muito alta. Além disso, há muita ocupação desordenada. São precisos padrões técnicos mais rígidos para ocupação para haver maior segurança”, disse Lídia. Para ela, a tragédia poderia ter sido ainda maior.

“A Defesa Civil Estadual opera planos preventivos, com mapeamento de áreas de risco. O Estado incentiva e financia estudos e levantamentos, retirando moradores de áreas de risco, de forma preventiva. Em Francisco Morato, o trabalho foi feito durante a noite, com alertas, e mesmo assim teve algumas mortes. Sem esse trabalho, teria muito mais vítimas”, destacou.

Entretanto, o trabalho das autoridades ainda é incompleto. “O ideal era que o município pudesse tirar moradores de áreas de risco com programas habitacionais. Essa é a preparação que precisamos. Tivemos a maior chuva dos últimos 11 anos em São Paulo”, concluiu a geóloga.