Governador classifica qualidade da água do volume morto do Cantareira como “perfeita”

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2014 15h29

O governador Geraldo Alckmin classificou como perfeita a água que será extraída do volume morto do Cantareira a partir desta quinta-feira (15). A declaração é uma resposta ao Ministério Público, que considera a reserva técnica impura. Já o Estado retruca, dizendo que, com o tratamento, apesar de mais complicado, o produto final é próprio.

O volume morto vai representar um acréscimo de 18% no Sistema Cantareira, que nessa terça-feira chegou a 8,6%. O governador argumenta que a água da reserva técnica não tem diferença da que já é utilizada.

“A água que vai pro PCJ, lá pra Campinas, ela não sai do alto da represa, ela sai de baixo. (…) O que o governo e a Sabesp estão trabalhando? Nós só pretendemos utilizar, dos 400 milhões dos m³ de água, 182 milhões. E os estudos mostram que, se não tiver nenhum fato superviniente, analisando a mínima história de vazão, com isso nós chegamos a próxima estação das chuvas. Cobre todo o final do outono e o inverno. A água é a mesma, aliás, é a mesma água que vai pra Campinas há décadas”, explicou Alckmin.

Segundo o governador, a Sabesp começou em março a implantar as bombas para retirar a água do volume morto. A reserva técnica poderá abastecer a Grande São Paulo por apenas quatro meses. O Estado avalia ainda a possibilidade de isentar a taxa de esgoto da população rural que construir poço artesiano.