Governador do DF pede compreensão e bom-senso aos médicos grevistas

  • Por Agência Brasil
  • 17/01/2015 18h58

O governador do Distrito Federal (DF), Rodrigo Rollemberg, voltou a pedir compreensão aos médicos até a regularização do pagamento. Segundo ele, o governo entraria com pedido de ilegalidade da greve. “A Justiça já declarou ilegal a greve praticada por outros servidores da saúde, mas atendendo a pedidos do Ministério Público, não entramos [com o pedido]”, disse neste sábado (17) em Sobradinho 2, região administrativa do DF, onde participou de programa de arborização.

Os médicos entraram em greve na última sexta-feira (16), depois de rejeitar a proposta do governo de parcelamento das dívidas trabalhistas acumuladas desde outubro do ano passado. Além disso, eles não aceitam a decisão de parcelar os salários dos servidores.

“Isso é provisório, para que possamos colocar as contas em dia. Estamos herdando uma dívida do governo anterior”, disse Rollemberg. “Pedimos a compreensão dos médicos, dos professores, para que possamos regularizar. O caos não interessa a ninguém”, reforçou. O governador informou que o governo se reunirá com o Ministério Público para buscar uma negociação. “Espero que prevaleça o bom-senso, que os médicos voltem à atividade e que possamos iniciar a normalização da saúde no DF”.

As novas regras para os salários dos servidores do governo do DF são as seguintes: funcionários que ganham até R$ 9 mil, cerca de 70%, receberão todo o salário no quinto dia útil. Os trabalhadores que ganham mais de R$ 9 mil receberão a diferença do valor a ser pago em três datas: no dia 15, será liberado o restante para quem ganha até R$ 11 mil; no dia 24, será saldada a dívida para os que recebem até R$ 16 mil e os valores restantes, no último dia do mês. Grande parte dos médicos será enquadrada no parcelamento máximo.