Governadores do Fonplata avaliam no Brasil alcance do plano estratégico

  • Por Agencia EFE
  • 25/05/2014 12h54

São Paulo, 25 mai (EFE).- Ministros do Brasil, da Argentina, do Uruguai, do Paraguai e da Bolívia, países que integram o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata), se reunirão amanhã em São Paulo para avaliar os alcances do plano estratégico que foi aprovado pelo organismo em junho de 2012.

A XII Reunião da Assembleia de Governadores do Fonplata será realizada em um hotel de Guarulhos (SP) com o propósito, entre outros, de avaliar “o desempenho a partir da aprovação do aumento de capital e a implementação do Plano Estratégico Institucional”.

A assembleia anual e privada do órgão analisará “diferentes temas de importância” e “tomará em conjunto as decisões que determinam o funcionamento do organismo”, apontou o Fonplata em comunicado.

Na reunião participarão os ministros de Economia e Fazenda da Argentina, Axel Kicillof; do Paraguai, Germán Rojas Irigoyen, e do Uruguai, Mario Bergara Duque; além das ministras de planejamento da Bolívia e atual presidente da Assembleia, Viviana Caro, e do Brasil, Miriam Belchior, que a sucederá no cargo.

O Fonplata é o único organismo dedicado a atuar como um banco de desenvolvimento com ação focalizada no marco do Mercosul e poder “financiar em condições mais favoráveis” a Bolívia, o Paraguai e o Uruguai, ressaltou a entidade.

No bloco existem outras instituições de fomento que atuam nos diversos países, como o estatal Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) do Brasil, mas são organismo particulares de cada país.

A partir de sua capitalização, o Fonplata conta com uma capacidade de empréstimo de US$ 250 milhões por ano.

Com o objetivo principal de “promover o desenvolvimento e a integração física, social, ambiental e cultural”, principalmente em regiões fronteiriças e menos desenvolvidas, na última década o Fonplata financiou mais de 80 projetos por mais de US$ 1 bilhão.

A sede do Fonplata, criado em 1974 para dar apoio financeiro e técnico na região e relançado em 2012, fica na cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra. EFE