Governadores pedem presença de Forças Armadas nos presídios e nas fronteiras

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 18/01/2017 19h51
BRA100. BRASILIA (BRASIL), 29/12/2016. - El presidente de Brasil, Michel Temer,realiza hoy, jueves 29 de diciembre de 2016, un pronunciamiento de fin de año, en el que realizó un balance de sus siete meses al frente del Ejecutivo, en Brasilia (Brasil). Temer, dijo hoy que 2017 será un "año nuevo" para el país, en el que se conseguirá "vencer" la grave crisis económica en la que se encuentra sumergido el gigante suramericano. EFE/Joédson AlvesPresidente Michel Temer - EFE

Em reunião com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto, governadores das regiões Norte e Centro-Oeste pediram ao governo federal a presença de militares não apenas para a inspeção nos presídios estaduais, mas também nas fronteiras para combater o narcotráfico.

“Toda a situação prisional brasileira, a violência no Brasil, todo mundo sabe que vem do tráfico de drogas. E essa droga entra pelos nossos Estados”, disse o governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), após a reunião.

Temer recebeu governadores e secretários de segurança do Amapá, Rondônia, Acre, Roraima, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Pará e Tocantins para tratar da questão.

Segundo Confúcio Moura, os governadores vão apresentar ainda nesta quarta-feira (18) um pedido conjunto de atuação das Forças Armadas nos presídios – e de tropas do Exército nas fronteiras. “A única solução é o Exército na fronteira. Pedimos a presença do Exército nas fronteiras, e o presidente prometeu nos atender”, disse. “Todos os Estados, estamos com a corda no pescoço. Ninguém dorme um sono tranquilo”, admitiu o governador

De acordo com Moura, o Planalto também se comprometeu a ajudar no pagamento de diárias para policiais militares que fizerem patrulhamento nas ruas. “Não temos condição de manter essas despesas sozinhos. Estamos diante de uma situação de emergência e desmoralização nacional e internacional”, ressaltou o governador.

*Confira o comentário de Reinaldo Azevedo sobre as Forças Armadas nos presídios