Governo aguardará análise da decisão da OMC e tomará medidas, diz Meirelles

  • Por Estadão Conteúdo
  • 11/11/2016 15h59
WAS10. WASHINGTON DC (EE.UU), 07/10/2016.- El Ministro de Hacienda de Brasil, Henrique Meirelles, habla hoy, viernes 7 de octubre de 2016, en una rueda de prensa en el Ronald Reagan Trade Center en Washington (EE.UU.), en el marco de las reuniones anuales del Fondo Monetario Internacional y el Banco Mundial. El Ministro Meirelles dijo que la economía de su país esta registrando un impulso de confianza con las reformas anunciadas en el congreso con el fin de dejar atrás la aguda recesión. EFE/LENIN NOLLY.Henrique Meirelles - EFE

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira (11) que, se necessário, o governo mudará os programas envolvidos no julgamento sobre o acordo automotivo o Inovar Auto, questionado por Japão e União Europeia na Organização Mundial do Comércio (OMC). O organismo condenou a política industrial brasileira e exigiu que incentivos fiscais adotados pelo governo de Dilma Rousseff sejam abandonados, pelo menos na forma como são aplicados. 

O governo brasileiro poderá recorrer da decisão. Se condenado, o Brasil terá de modificar o programa e os incentivos dados a montadoras. “Vamos aguardar uma análise dessa decisão da OMC e tomar as medidas necessárias”, afirmou Meirelles, após participar de seminário, fechado à imprensa, na Federação das Indústrias do Rio (Firjan).

O ministro destacou que os programas de incentivos foram programas feitos “pelo governo anterior”. “Esses programas, se tiverem de ser revistos, serão. É prematuro começar a especular o que faríamos”, completou Meirelles.