Governo de SP estende vacinação, mas atinge apenas 65%

  • Por Jovem Pan
  • 08/06/2015 08h26

A campanha prioriza a imunização de pessoas com mais de 60 anosVacina contra a gripe

Na última semana de vacinação contra a gripe, a Secretaria de Saúde de São Paulo tenta cumprir a meta de imunizar quase 12 milhões de pacientes. O último balanço das autoridades estaduais contabilizava o atendimento de menos de 65% do público alvo. Segundo o Ministério da Saúde, apenas quatro estados brasileiros atingiram a meta e outros sete fizeram como São Paulo e prorrogaram a vacinação.

Falando a Izilda Alves, o secretário da Saúde de São Paulo, David Uip, rebate os mitos sobre a vacina e diz que os efeitos começam 15 dias após a aplicação. “As pessoas dizem que tomam a vacina e ficam gripadas, é impossível. A vacina é feita a partir de vírus mortos. Você precisa de duas semanas e se eventualmente a pessoas ficam doente antes disso é porque já encubavam o vírus”, explica.

A vacina contra a gripe é indicada também para idosos, crianças de seis meses a cinco anos e trabalhadores da saúde e do sistema prisional.

Falando a Carlos Aros, o infectologista Jean Gorinchteyn, do Instituto Emílio Ribas, explica que há apenas algumas restrições à vacina. “As restrições estão para as pessoas que tenham alergia a ovo, alguns antibióticos e ao mesmo tempo aqueles que estivessem em curso de alguma doença infecciosa”, cita.

Uma pessoa gripada pode contaminar todas as outras que trabalham em um mesmo ambiente e que não foram vacinadas. A imunização contra a doença protege por um ano e é segura, sendo aplicada em todo o mundo.