Governo e oposição do Sudão adiam negociação de paz sobre conflito no sul

  • Por Agencia EFE
  • 18/02/2014 15h43

Adis-Abeba, 18 fev (EFE).- O governo do Sudão e o grupo militar Movimento para a Libertação do Povo do Sudão-Norte (SPLM-N) adiaram durante dez dias as conversas de paz para pôr fim à luta armada na região do Cordofão do Sul.

Segundo anunciou o chefe do Grupo de Implementação de Alto Nível (AUHIP) da União Africana (UA), o ex-presidente sul-africano Thabo Mbeki, os representantes de ambas partes retornaram a seu país “para consultar seus superiores”, e dentro de dez dias retomarão as negociações.

As conversas recomeçaram na quinta-feira passada na capital etíope após quase um ano de estagnação e acusações de ambas partes sobre a violação dos acordos alcançados em 2013.

Cinco dias após retomar a negociação, a troca de acusações voltou a acontecer.

Em Cartum, o ministro da Defesa sudanês, Abdel Rahim Hussein, acusou hoje os rebeldes de obstruir as conversas e advertiu em discurso público: “Queremos resolver nossos problemas por meio do diálogo e apenas o diálogo, mas se nos impõem a luta, será necessário que a façamos”.

Por sua parte, o porta-voz oficial da delegação do SPLM-N, Mubarak Abdel Rahman Erdol, admitiu que as negociações estão em um ponto morto “por terem se distanciado ainda mais as posições das duas partes”. EFE