Governo grego destaca que não pediu prorrogação do programa de resgate

  • Por Agencia EFE
  • 19/02/2015 09h50

Atenas, 19 fev (EFE).- O governo da Grécia destacou nesta quinta-feira que não pediu uma prorrogação do programa de resgate ao Eurogrupo, mas uma extensão do crédito por seis meses que respeita as linhas vermelhas de Atenas e pode ser aceita pelos parceiros.

O governo espera que esta solicitação “repare o custo social que a crise provocou”, e sirva para conseguir “um acordo ponte de seis meses, durante os quais haverá equilíbrio orçamentário”, afirmaram fontes do Executivo em comunicado.

Atenas se compromete, além disso, a iniciar “reformas contra a evasão fiscal e a corrupção e a tomar medidas para enfrentar a crise humanitária” de modo que a economia seja reativada “imediatamente”.

As fontes do Executivo assinalaram que esta prorrogação de seis meses “oferece a possibilidade de aliviar o peso sobre a sociedade”, e permite ganhar “o tempo necessário para negociar sem limites de tempo e chantagens com os parceiros europeus um novo contrato para o crescimento no período 2015-2019”.

Estas fontes anteciparam que no futuro acordo, que seria fechado após a prorrogação, será incluído o compromisso assinado no segundo resgate, em novembro de 2012, de um alívio da dívida grega.

Em 2012 os membros da zona do euro se comprometeram a estudar a possibilidade de melhorar as condições da dívida grega se a Grécia cumprisse com todos os requisitos prévios. EFE