Governo vai dar prioridade a relações comerciais com a China, diz Serra

  • Por Estadão Conteúdo
  • 04/07/2016 14h06
BAS20. BUENOS AIRES (ARGENTINA), 23/05/2016.- El nuevo canciller de Brasil, José Serra, habla durante una rueda de prensa hoy, 23 de mayo de 2016, en Buenos Aires. Los ministros de Relaciones Exteriores de Argentina y Brasil, Susana Malcorra y José Serra, respectivamente, iniciaron hoy un encuentro en Buenos Aires tras el cual rubricaron un memorándum de entendimiento para la coordinación de políticas entre ambos países. EFE/David FernándezMinistro das Relações Exteriores José Serra - PSDB - EFE

O ministro de Relações Exteriores José Serra afirmou que, na área de comércio externo, o governo dará prioridade às relações com a China, “nós temos muito a avançar na relação com a China, inclusive no âmbito do Mercosul. Não há contradição de negociar o acesso (a esse mercado) junto com o bloco. Há espaço para todo mundo no âmbito global”, conjecturou, após participar do Global Agribusiness Forum 2016.

O chanceler brasileiro comentou ainda que a importância dada a Pequim também é demonstrada pela escolha do embaixador Roberto Jaguaribe, que estava em serviço no país asiático, para comandar a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). O órgão, que estava sob o guarda-chuva do MDIC, passou para o Ministério de Relações Exteriores no governo Temer, “estamos propondo o estreitamento do trabalho da Apex não só com a indústria, mas também com o agronegócio, a fim de descobrir oportunidades de mercado, conversar com empresários”, ponderou.

O ministro também ressaltou a reformulação na Câmara de Comércio Exterior (Camex), que foi para a alçada da Presidência da República, “a Camex vai tomar muitas decisões relevantes, inclusive em questões tributárias que atrapalham as exportações. É o caso de créditos à exportação que não são honrados ou quando não se consegue limpar os impostos residuais que ficam nos produtos. É um agregado de pequenas coisas, mas que, no geral, fazem uma grande diferença”.