Governo venezuelano diz que jovem miss morreu com disparo de opositores

  • Por Agencia EFE
  • 20/02/2014 19h42

Caracas, 20 fev (EFE).- O governo venezuelano declarou nesta quinta-feira que a estudante e miss Gêneses Carmona, que morreu na última quarta-feira após ter recebido um tiro um dia antes durante uma manifestação da oposição na cidade de Valencia, recebeu um tiro proveniente de “suas próprias fileiras”.

“Essa moça morreu por uma bala que saiu de suas próprias fileiras (opositores) e é lamentável que cheguemos a estes extremos de violência”, indicou o ministro do Interior, Miguel Rodríguez Torres, em entrevista coletiva.

“Há testemunhas que confirmam esta versão, testemunhas do mesmo agrupamento que ela, que andavam com ela e que, indubitavelmente, são seres humanos e sentirem muita dor pela morte de sua companheira”, acrescentou.

Carmona, de 22 anos e que foi eleita como Miss Turismo do estado de Carabobo no ano passado, recebeu um tiro na cabeça durante um protesto em Valencia. Familiares e amigos velaram hoje o corpo da jovem, que será enterrado amanhã.

O tio da jovem, Rafael Cisneros, indicou à Agência Efe que a família optou por fazer um velório e um funeral mais reservado, enquanto o sepultamento será realizado na manhã desta sexta-feira.

A Venezuela vive uma onda de protestos em todo o país desde o último dia 12 de fevereiro, quando uma manifestação pacífica entre estudantes e opositores resultou na morte de três jovens – todas por disparos – e deixou outras dezenas de feridos e detidos. EFEjlp/fk