Grã-Bretanha presta homenagem a vítimas 10 anos após atentados em Londres

  • Por Reuters
  • 07/07/2015 11h21
divulgação Jean Charles

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, liderou nesta terça-feira (07) as homenagens na recordação do 10º aniversário dos atentados que mataram 56 pessoas em Londres, os primeiros ataques suicidas de militantes islamistas na Europa Ocidental.

Familiares das vítimas, sobreviventes, e as mais altas autoridades do país se reuniram para lembrar os mortos nos atentados de 7 de julho de 2005, com as emoções ainda latentes depois de um massacre na Tunísia, no mês passado, que causou o maior número de mortes entre britânicos desde o atentados em Londres.

“Hoje, o país se junta para lembrar as vítimas de uma das mais letais atrocidades terroristas no território britânico”, disse Cameron em comunicado. “Dez anos depois dos ataques de 7/7, em Londres, a ameaça do terrorismo continua tão real quanto letal. O assassinato de 30 cidadãos britânicos inocentes em férias na Tunísia é um lembrete brutal desse fato. Mas nós nunca vamos ser intimidados pelo terrorismo “.

Nas primeiras horas de 7 de julho há uma década, quatro jovens muçulmanos britânicos viajaram para Londres, onde cometeram os atentados suicidas detonando bombas caseiras escondidas em mochilas dentro de três trens do metrô e um ônibus durante a hora do rush pela manhã. Eles mataram 52 pessoas e causaram ferimentos em outras 700.

Cameron e o prefeito de Londres, Boris Johnson, permaneceram em silêncio, de cabeça baixa, antes de colocarem uma coroa de flores no memorial 7/7 no Hyde Park. Eles vão se reunir mais tarde com outras autoridades, famílias das vítimas, sobreviventes e membros dos serviços de emergência vítimas dos ataques para um serviço religioso na catedral de St. Paul.